Engenheira de produção se torna empresária do ramo gastronômico depois de perder emprego na pandemia

Proprietária do Serramada, empresa de salgados gourmet, Karina Camelo, precisou se adaptar em nova profissão; Com auxílio da Utnick Prodution, a empresa já conta com milhares de seguidores nas redes sociais

Resiliência e adaptação. Essas são as palavras que ditaram o recomeço da empresária Karina de Oliveira Cattoni Camelo, de 41 anos. Depois de construir uma sólida carreira no ramo da engenharia de produção civil em Belo Horizonte (MG), dando consultorias e viajando todo o país na maior parte do tempo, ela precisou se reinventar em outra área profissional, depois que a pandemia do coronavírus fez seus planos mudarem.

“Eu tinha um emprego fixo, uma carreira agitada e surgiu uma grande oportunidade de mudança para os Estados Unidos, onde eu iria aprender inglês e representar a empresa para qual eu trabalhava lá fora. Mas, com a pandemia, tudo mudou. Eu fiquei no Brasil e ainda acabei sendo demitida”, relembra.

Diante da grande mudança ela decidiu começar do zero. “Abri uma empresa do ramo alimentício. Montei uma fábrica de coxinhas gourmet que hoje é meu trabalho e minha retomada financeira”, conta.

Com investimento da empresa Utnick Production, a Serramada, criada oficialmente em 2021, já conta com milhares de seguidores nas redes sociais e já se tornou referência na produção de coxinhas tradicionais, sem glúten e pães de queijo.

“Tudo começou em casa, entre amigos, com vendas pelo grupo de whatsapp do bairro onde moro. Um cliente começou a me indicar para outro, e, de uma hora para outra, minha casa não era mais suficiente para produzir tudo que passei a vender. Comecei a olhar um local para montar minha fábrica”, conta.

“A venda de salgados começou em agosto de 2020, em janeiro comecei a procurar um local e em abril já estava com minha fábrica instalada e a pleno vapor”, afirma.

Dado ao sucesso que a Serramada tem feito, a empresária planeja para os próximos meses a expansão dos negócios para outras partes do país. “Sempre trabalhei na área de sistema de gestão de qualidade, então tenho experiência nesse ramo e sei que posso ampliar a ideia em outras regiões”, planeja.

“Tudo tem um propósito para acontecer. Eu tinha planos, mas a pandemia me mostrou que devemos estar preparados para mudanças”, finaliza.

9 de setembro de 2021