Especialista alerta para os riscos e cuidados com o uso de clareadores de pele no verão

A Dra. Hellisse Bastos fala sobre os riscos associados ao uso sem prescrição médica de cosméticos clareadores para apagar manchas e marcas de sol

Apesar do verão ser um período mais sensível em relação a tratamentos de pele, o uso de produtos cosméticos clareadores ou redutores de manchas não precisa acontecer única e exclusivamente no inverno. No entanto, o abuso do uso destes produtos com finalidades muito além do recomendado tem ocasionado diversos problemas como queimaduras de pele e reações adversas.

A dermatologista Dra. Hellisse Bastos aponta que são necessários cuidados e acompanhamento profissional para obter os resultados esperados e evitar o surgimento de colaterais indesejados: “Os clareadores tipo o retinol e o hidroquinona são fotossensíveis, tanto a luz natural do sol como a luz de casa ou a luz forte de algum procedimento e até mesmo do computador, então aparecem com certa frequência no consultório casos de queimaduras por uso de clareadores. Por isso é preciso ter uma cautela muito grande, uso correto e prescrição correta para o uso dos clareadores.”

Dra. Hellisse Bastos

O que pode ser usado no verão

A especialista ressalta que existem formulações próprias para serem usadas no verão, associadas ao uso do protetor solar, que complementam o tratamento. Além disso, através de exames, é possível criar formulações específicas para cada indivíduo. “O ideal é sempre fazer uso deste tipo de cosmético, que atua nas camadas mais superficiais e visíveis da pele, com prescrição médica. No caso dos meus pacientes, peço exames de sangue e a partir deles prescrevo determinadas vitaminas e antioxidantes para evitar o aparecimento de manchas na pele, alergias e reações, o que resulta até em maior eficácia do tratamento com clareadores no verão.

Foto: Reprodução

4 de março de 2020