Fotógrafo mais badalado do Brasil, Davi Borges fala sobre sucesso profissional e novos projetos para 2019

Davi Borges é soteropolitano, mas foi criado em São Paulo, e mora no Rio de Janeiro há quase 10 anos. Formado em cinema e referência na fotografia e ensaios sensuais, o fotógrafo começou sua carreira como fotógrafo em 2009, fotografando amigos e aspirantes a modelos, como um hobby, e hoje vive com a agenda cheia, e se tornou o preferido de diversas celebridades.

Nicole Bahls (Foto: Davi Borges)

O fotógrafo relata como foi o seu começo como profissional e as dificuldades iniciais: “Meu inicio na fotografia não foi fácil. Comecei em 2009, mas só entrei de cabeça como profissional em 2011. Na época, passei por muitas dificuldades por ainda não ter nome no mercado e não ter muitos contatos. Existe muita resistência a quem está chegando, e muita desconfiança e preconceito. O mercado é cruel e não perdoa”. 

Aline Riscado (Foto: Davi Borges)

No entanto, a partir de 2011, viu a carreira decolar através da propaganda espontânea das modelos e clientes. Sem “frescuras”, como o próprio define, o fotógrafo não costuma recusar trabalhos. Embora tenha em seu currículo inúmeras capas de revistas, ensaios para importantes marcas e uma trajetória de sucesso, Davi Borges não fotografa apenas famosos: “fotografia é a minha vida. Eu amo fotografar e não faço apenas famosos. Sou aberto a diversas propostas profissionais, do conceitual ao catálogo, e a fotografar novos talentos”. 

Gracyanne Barbosa (Foto: Davi Borges)

A lista de famosos que já foram clicados por Davi Borges é extensa: Cauã Reymond, Grazi Massafera, Aline Riscado, Fernanda D’avila, Monick Camargo, Carol Nakamura, Gracyanne Barbosa, Raquel Guarini, Nicole Bahls, Fernanda Lacerda, Renata Molinaro, Luciane Hoepers, Roberta Zuniga, Gabriela Paganini, dentre tantos outros. O fotógrafo já realizou mais de dois mil ensaios.

Além de trabalhos para Playboy, Sexy, Trip, VIP, e diversas revistas de fitness, musculação e saúde, Davi Borges também faz parte de um projeto chamado Diamond Brasil, que faz 24 ensaios por ano com modelos, que vão de famosas a sub-celebridades: “Graças a Deus tenho tido bastante trabalho. As campanhas de fitness me procuram muito. Por muito tempo as pessoas achavam que eu só sabia fazer ensaio sensual, mas agora outros mercados tem me procurado também, como moda e conceitual. Tenho feito ensaios para influenciadoras digitais, grifes, etc”.

Davi revela quem são suas influências e referências para seu trabalho com fotógrafo: ”Trabalhei com cinema, fiz muitos videos, filmava surfe, esportes, etc. Mas na fotografia eu sou muito autodidata. Tenho algumas referências, como Mike Tang , J.R. Duran, entre grandes outros”.

Capa com Gracyanne Barbosa (Foto: Davi Borges)

O fotógrafo revela seus planos para 2019, e estes incluem novos horizontes e uma especialização: “vou me mudar para a California, nos Estados Unidos por algum tempo, para me aprimorar, realizar cursos, conhecer trabalhos de outros fotógrafos por lá, e trazer novos conceitos. Eu particularmente amo Santa Monica, acho parecido com o Brasil de algum modo, e vou para lá me inspirar. Devo ficar por 4 meses nos EUA.”

Além disso, Davi afirma que pode começar a organizar exposições, workshops e cursos em breve: “as pessoas pedem muito para eu organizar workshops e ensinar como eu faço a direção das modelos, o tratamento das imagens, e afins. Eu tenho um modo especial de lidar e dirigir as modelos, e isso se reflete nas imagens. Muitas pessoas gostam e tem pedido para que eu abra como funcionam os bastidores, e estou cogitando finalmente fazer isso. Quanto a exposições, pode ser que façamos também. Já fiz exposição dos meus trabalhos em Ibiza em 2013, com 20 fotos minhas. Foi algo muito especial”, comenta.

Davi Borges (Foto: Reprodução)

Com todas as suas conquistas profissionais, Davi Borges revela que está plenamente realizado, e que felizmente preconceitos e tabus estão sendo, dia após dia, vencidos no mundo da fotografia: “Eu sou muito realizado no meu trabalho. Amo o que eu faço. Virei fotógrafo ‘sem querer’, e hoje é o que mais me satisfaz e me realiza. Tenho vencido a cada dia preconceitos, derrubando tabus. Sinto que o fotógrafo hétero sofre muito preconceito para entrar no mercado, pode ser apenas impressão minha, mas isso felizmente está caindo a cada dia”.

28 de fevereiro de 2019