Jornalista Dani Almeida se reinventa e fatura mais de R$ 1 milhão com as redes sociais

Foram 12 anos trabalhando com comunicação. Metade desse tempo, a jornalista e especialista em imagem Dani Almeida ajudou executivos e marcas de grandes empresas a aparecerem na imprensa. A outra metade, trabalhou em grandes editoras como Editora Abril, Editora Globo, Portal iG, entre outros, cobrindo negócios, política e editando revistas femininas. Com a maternidade, veio a vontade de empreender.

“Estava frustrada por trabalhar em um mercado em crise, onde a demissão era apenas questão de tempo, as equipes eram cada dia mais enxutas e a perspectiva de crescimento era praticamente zero. Mas não sabia muito bem o que fazer. Como eu tinha coordenado revistas de moda desde a sua criação até saírem da gráfica, achei que seria um bom negócio abrir uma loja de roupas, mesmo conhecendo pouco de varejo”, conta Dani.
Crise e reinvenção

A empresa ia bem, até que veio a crise. Com isso, menos clientes entravam e as redes sociais da loja passaram a ter um papel ainda mais importante. Mesmo com apenas 2 mil seguidores no Instagram, o perfil da empresa vendia muito e as listas no WhatsApp, construídas cliente a cliente, começavam a render. Depois, veio o trabalho com os grupos de Facebook do bairro em que a empresa ficava, na cidade de São Paulo. As vendas cresceram tanto que foi preciso contratar uma vendedora só pras redes sociais.

“Era um trabalho insano, de formiguinha mesmo. Nem eu nem as vendedoras desgrudávamos do celular, mas era o que ajudava a pagar as contas naquela crise. Até delivery de roupas começamos a fazer, tamanha a demanda.” Com o aumento das vendas online, veio a decisão de montar um e-commerce. Feito o investimento, a descoberta: vender roupa pelo e-commerce era muito mais complexo do que parecia e as pessoas continuavam preferindo comprar pelo WhatsApp, com atendimento dedicado.

Foi quando a jornalista começou a estudar tudo que encontrava sobre marketing digital, na empreitada de fazer o site realmente vender. “Para incrementar as vendas na loja física e fazer eventos, eu tinha estudado consultoria de imagem, uma super ferramenta de comunicação e construção de marcas. As clientes amavam esse conhecimento e só queriam ser atendidas por mim. Foi aí que tive a ideia de criar O Poder da Imagem.”
A estratégia era postar as roupas da loja nas redes de O Poder da Imagem e, assim, vender mais. As redes da loja e de O Poder da Imagem começaram a crescer e chamar a atenção dos empreendedores e pequenas empresas locais. Com isso, Dani passou a prestar consultoria para ajudar esses negócios a se destacarem e venderem mais pela internet. Ajudou a criar canais de YouTube e perfis do Instagram do zero – todos com muito resultado.

Dani Almeida – Foto: Reprodução

Influência Digital

“Nessa época eu já tinha me tornado uma influenciadora e era chamada pra palestras, dava treinamentos presenciais etc. Ou seja, já faturava com as redes e com a consultoria. Foi aí que comecei a ajudar microinfluenciadores a começarem do zero.” Nesse meio tempo, o site começou finalmente a vender e a loja já tinha mudado pra um esquema de ateliê, com custos mais baixos de operação e um atendimento mais VIP para as clientes. Mas, com o crescimento das mentorias e consultorias, era preciso fazer uma escolha.
A mentoria de pequenos influenciadores deu tanto resultado que as pessoas pediam a mentoria, mas havia um limite de agenda. Para levar seu conhecimento a mais e mais pessoas, em 2017, Dani criou o primeiro curso de influência digital do Brasil, o Influenciadora de Sucesso, praticamente uma universidade das redes sociais com mais de 100 aulas. 

“Percebi que precisava trabalhar com a minha paixão: a comunicação. Passei anos ajudando multinacionais e executivos a aparecerem na mídia, anos criando conteúdo em reportagens e na edição de revistas. Agora, com o conhecimento de marketing digital e os resultados nas redes sociais (meus e dos alunos), queria ajudar mais pessoas a se destacarem no digital e, com isso, viverem da sua paixão e acelerarem seus negócios.”

Atualmente, seus cursos online (www.opoderdaimagem.net.br/cursos) reúnem 3489 alunos e uma série de casos de sucesso. São influenciadores, profissionais liberais e donos de pequenos negócios que sabem que as redes sociais e a internet podem ajudar a virar o jogo do seu negócio. Além dos cursos, Dani divide seu tempo com a gestão da empresa, suas redes, palestras e mentorias. Em dois anos, os cerca de R$ 5 mil investidos inicialmente nas redes de O Poder da Imagem renderam um faturamento de R$ 1,14 milhão. 

“As redes sociais democratizaram a possibilidade de se destacar por aquilo que você faz. Sou a prova disso, hoje vivo da minha paixão, trabalhando de casa, ao lado da minha filha. Quero ajudar mais pessoas a chegarem aonde cheguei, sem precisar de rios de investimento. Essa é a minha missão.”

Acompanhe Dani Almeida no Instagram: instagram.com/danialmeida

20 de agosto de 2019