Léo Lins afirma que há ‘censura seletiva’ no caso da HQ polêmica com beijo gay na Bienal do Rio

O caso da tentativa de censura da HQ Vingadores: A Cruzada das Crianças, da Marvel, que apresentava uma cena de beijo gay, está mobilizando não apenas políticos e autoridades, mas também artistas e formadores de opinião.

Entre os formadores de opinião desfavoráveis à censura está o humorista Léo Lins, do talk show The Noite, do SBT. Ele declarou em suas redes sociais que o caso, na verdade, se trata de censura seletiva: “ Sou contra a censura e acredito que o Estado não deve intervir nisso. Eu vi muitos artistas se pronunciando, mas os mesmos desaparecem quando a censura não envolve os valores progressistas da esquerda. Ao mesmo tempo, direitistas não criticam a censura se ela não envolver valores conservadores. Isto é censura seletiva”.

A polêmica HQ dos Vingadores – Foto: Reprodução

Recorde o caso

A HQ Vingadores: A Cruzada das Crianças, da Marvel, foi alvo de Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, na última semana. Na noite de quinta, 5, o político anunciou no Twitter que iria retirar os quadrinhos da Bienal do Livro do Rio de Janeiro por conta da ilustração com o beijo entre os heróis Wiccano e Hulkling.

Na visão de Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, o conteúdo da HQ era “impróprio” para crianças e famílias. A atitude é vista como uma prática anti-LGBTQ+ por diversos órgãos brasileiros e também pela mídia internacional.

O humorista já teve o seu show censurado em mais de 20 cidades – Foto: Reprodução

Vivendo na pele

O próprio Léo Lins já foi vítima de censura do poder público. Recentemente o seu show ‘Bullying Arte’ havia sido censurado pelo prefeito de Taubaté, Ortiz Jr. O show precisou de uma liminar da justiça para acontecer. Além deste caso, Léo teve seu show censurado em mais de 20 outras cidades pelo Brasil: “se você seleciona qual censura é válida, você não luta pela liberdade de expressão. Pouquíssimos artistas se posicionam contra a censura independente de qual seja o posicionamento político e ideológico. Pra mim, nenhuma dessas pessoas defende a liberdade de expressão pra todos. Defendem apenas a liberdade de expressão dos valores com os quais  concordam”.

12 de setembro de 2019