Natalia Martins: Beleza e Saúde além do padrão

Praticamente toda mulher já se submeteu a uma dieta e algumas até afirmam que necessitam estar sempre “de regime”. Os padrões de beleza atingem a sociedade como um todo, no entanto, é nítido como eles incidem com uma pressão muito maior sobre as mulheres.

Para além do chamado ‘padrão de beleza’, a empresária Natalia Martins, fundadora da Natalia Beauty & Academy, é uma defensora da máxima de que toda mulher tem sua beleza. Ela não só realiza seus procedimentos de micropigmentação em seu espaço, mas ministra cursos para mulheres que desejam aprender sua técnica, a fim de leva-la para diferentes cantos do mundo: “gostamos de realçar a beleza natural, queremos que a nossa cliente se sinta linda como ela é, na sua melhor versão. A Beauty & Academy é um espaço de embelezamento e treinamento, que trabalha não só a beleza externa, mas o desenvolvimento interno das clientes e alunas”.

A questão da auto-imagem distorcida é de fato alarmante. O documentário “Embrace”, lançado em 14 de fevereiro nos Estados Unidos, teve o seu trailer compartilhado nas redes sociais por milhões de mulheres neste início de ano. Idealizada pelo Body Image Movement (BIM), fundado pela australiana Taryn Brumfitt, a produção estreou no “Sydney Film Festival” de 2016 e foi indicada ao prêmio de melhor documentário pela “Documentary Australia Foundation”. O filme traz um conjunto de depoimentos de mulheres sobre a aceitação do próprio corpo e aborda como a mídia é responsável pela consolidação dos padrões na sociedade. De acordo com um levantamento do documentário, cerca de 90% das mulheres do mundo são infelizes com seu corpo.

Outras pesquisas ainda reforçam essa constatação da insatisfação feminina com a aparência. Um estudo já antigo, mas que abriu portas para essa discussão no universo das campanhas publicitárias, foi a pesquisa realizada pela Dove, em 2004, “A verdade sobre a beleza”, na qual concluiu-se que apenas 4% das mulheres em todo o mundo se consideravam bonitas. A insatisfação com o peso mostrou-se o maior denominador comum entre essas mulheres e isso impacta de forma preocupante quando o assunto é transtorno alimentar.

“Diz uma máxima que a beleza está nos olhos de quem a vê. Eu não concordo. A beleza está dentro de cada um de nós e dentro do nosso repertório de vida.Existe beleza em cada folha que cai de uma árvore. Existe beleza no pôr do sol mesmo em dias frios. Existe beleza em cada ser vivo que habita a Terra. E eu, sempre uma apreciadora da beleza que existe no indivíduo, acredito em não padronizar o que se classifica como belo. Você, a seu modo, é linda. Você tem uma característica que só você tem, acredite. Existem 7 bilhões de pessoas no mundo e, ainda assim, você é única.Seja você, o mundo está cheio de cópias e só precisa que você seja você mesma. Abaixo o padrão de beleza que a sociedade impõe. Se parar pra pensar, a beleza não tem padrão. A beleza real está justamente em sermos únicos.E escolhemos você, dona de uma beleza interna e externa única, para nos ajudar a difundir a #belezasempadrão. Pense em suas seguidoras, que ouvem o que você tem a dizer e diga a elas que elas são lindas como são”. Rebateu Natalia Martins.

De acordo com levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, em 2014, 77% das jovens em São Paulo apresentam propensão a desenvolver algum tipo de distúrbio alimentar, como anorexia, bulimia e compulsão por comer. Dentre as participantes, 46% afirmaram que mulheres magras são mais felizes e 55% adorariam simplesmente acordar magras.

12 de março de 2019