Neurocientista brasileiro de 39 anos torna-se membro da FENS – Federação da sociedade europeia de neurociência

Fabiano de Abreu é um dos mais jovens cientistas a representar o Brasil internacionalmente 

Divulgação/ Jennifer de Paula 

O neurocientista e psicanalista carioca Fabiano de Abreu torna-se membro da FENS – Federation of Europen Neuroscience Societies. Abreu era já membro da SPN – Sociedade Portuguesa de Neurociência e da SBNeC – Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento. 

Para Abreu, dado que vive na Europa, “este era um passo importante a ser dado no meu percurso como neurocientista, até porque terei mais recursos para as pesquisas”.

Neste momento o neurocientista conta com 10 artigos científicos em análise e não pretende parar por aqui. 

Divulgação

Como refere o próprio, ” depois de iniciar o curso de neurociência em Harvard descobri todo um novo mundo que me abriu portas para uma melhor compreensão do ser humano, desta vez relacionada à parte mental. Além disso, a neurociência mostrou-se uma parte complementar muito forte das outras áreas a que me dedico como a psicanálise ou a filosofia. Tendo amplos conhecimentos em todos estes campos olhamos de uma forma diferente ao analisarmos o ser humano e a sua mente”.

Abreu também tem formação como neurocientista na EBWU nos Estados Unidos e na Universidade Faveni do Brasil, também é psicólogo e tem um centro de pesquisas em que dedica parte do seu tempo com estudos relacionados a mente humana. Duas de suas teorias, uma sobre a fadiga e a outra chamada de psicoconstrução em que criou um novo método de psicanálise com base na ancestralidade, já está sendo experimentada em um consultório de psicologia no Brasil e está em análise no comitê científico.

17 de outubro de 2020