Sony anunciou saída do Brasil e do mercado de celulares

Tragédia anunciada, a Sony tomou a decisão de se retirar do mercado de celulares no Brasil. A matriz japonesa comunicou o fim das operações da divisão Mobile em toda a América do Sul, bem como na América Central e Oriente Médio ao mesmo tempo em que divulgou o seu resultado financeiro e fiscal de 2018. 

“Nós aceleramos nosso plano de fechar nossa fábrica em Pequim e saímos de diversas regiões, como o Oriente Médio e as Américas Central e do Sul”, informa o documento da empresa que tinha como público alvo investidores.

O ano fiscal terminou com receita operacional de 809,3 bilhões de ienes. Houve incremento em relação a 2017, quando a empresa fez 709,6 bilhões de ienes. No entanto, chama a atenção o negócio de Comunicações Móveis: o prejuízo pulou de 27,6 bilhões de ienes para 97,1 bilhões de ienes na passagem de um ano para o outro. O valor negativo equivale a US$ 870 milhões.

MWC 2018 – Foto: Reprodução

Havia muita incerteza sobre a operação brasileira da Sony e os lançamentos dos últimos modelos Xperia que não vieram para o Brasil. Outro indicativo de que o negócio definhava no país: até onde se sabe, a fabricante não levou nenhum executivo ou assessor de imprensa para a MWC 2019, feira de smartphones e telecomunicações que acontece todos os anos em Barcelona e serve para apresentar as novidades do setor.

Atualmente a Sony em sua loja online apresenta poucos smartphones e  traz em sua maioria acessórios como carregadores sem fio, adaptadores de tomada, cabos e powerbanks.

Fora do Brasil, a Sony pretende continuar investindo nos celulares. Analistas também veem com bons olhos outros negócios da empresa, como Smart TVs e o sucessor do PlayStation 4 (PS4). O PlayStation 5 (PS5), no entanto, ainda não deve chegar às lojas neste ano.

27 de abril de 2019